Browse Author: Francisco Johnson

Resolver o mistério de uma mulher medieval que deu à luz dentro de um caixão

No ano de 2010, cerca de escavações realizadas na cidade italiana de Lucca, serviram para cavar uma tumba com uma antiguidade aproximada de 1.300 anos. O que ninguém podia imaginar era o terrível descoberta que iriam fazer no seu interior. A sepultura continha o esqueleto de uma mulher, com um buraco no crânio. Mas o mais impressionante e terrível foi que, sob sua pélvis tinha vários ossos pequenos, que pareciam pertencer a um feto. O achado significava que a mulher havia dado à luz depois de ser sepultada. Mas eu queria isto dizer que foi enterrada viva?
Agora, oito anos depois, pesquisadores das universidades de Ferrara e Bolonha, têm revelado o que realmente aconteceu. As análises realizadas mostram que a mulher foi enterrada já morta, e que morreu de uma trepanación que se realizou no crânio para tralarla de eclampsia, uma doença que afeta as grávidas. E com a mãe, morreu também o filho que carregava em suas entranhas. Mas, entónces, como ocorreu o parto?
Tal como explicam os especialistas, se deve a um fenômeno bastante raro conhecido como extrusão fetal post mortem, e que consiste na expulsão de um feto inviável por parte do corpo de uma mulher grávida morreu durante a podridão de seu corpo.
Os gases que produz no organismo humano durante o processo de decomposição, provocam o inchaço do abdômen e oprimem, por sua vez, o útero, causando a expulsão do feto morto. Este tipo de partos post mortem não eram estranhos na antiguidade, mas, atualmente, parece mais difícil do que se produz, já que as técnicas de conservação de cadáveres evitam a produção de tantos gases.
Fonte: ScienceAlert.
Resolver o mistério de uma mulher medieval que deu à luz dentro de um caixão

O K2, ou maconha sintética, matou duas pessoas e fez com que dezenas sangren os olhos

As autoridades sanitárias de Illinois, nos Estados Unidos, estão em alerta. Por que? Duas pessoas morreram por (aparentemente) consumir K2, uma substância também chamada de maconha sintética. E outras 38 tiveram que ser hospitalizadas após sofrer graves hemorragias, a maioria deles nos olhos.
Antes de mais nada, há que explicar que o K2 não é realmente maconha. Trata-Se de outro produto completamente diferente, o que lhe foi acrescentado tetrahidrocannabidol, o composto químico responsável pelos efeitos psicoativos desta erva.O problema é que o resto de compostos químicos que leva o K2 podem variar de um fabricante para outro!
As hemorragias não são um efeito secundário associado ao consumo de drogas. Por esse motivo, os especialistas acreditam que a “maconha sintética” vendida em illinois, pode levar entre seus componentes alguma substância anticoagulante que faz com que seus pacientes sangren pelos olhos.
Entre os efeitos adversos, a longo prazo, que foram detectados com o consumo da maconha sintética, destacam-se os ataques epiléticos e as convulsões, dano renal, acidentes vasculares cerebrais e psicose. Além disso, como os componentes de ambas as drogas são quimicamente diferentes, existe a possibilidade de que os canabinóides artificiais ativar outros receptores celulares, e estes podem ser responsáveis por muitos dos efeitos fatais que provoca.
Fonte: LiveScience.
O K2, ou maconha sintética, matou duas pessoas e fez com que dezenas sangren os olhos

Dizem que o sistema em que se baseia bitcoin contém pornografia infantil

A tecnologia Blockchain é a coluna vertebral do bitcoin. Cada pessoa que troca esta criptomoneda, tem que ter baixada uma cópia atualizada do referido sistema (também chamado de cadeia de blocos), que verifica a sua autenticidade e que impede a sua falsificação. Segundo os especialistas, é uma tecnologia revolucionária, cujas aplicações podem ir além do uso dessa moeda.
Voltando a bitcoin, já estávamos acostumados a que a sua fabulosas revaloricaciones, e também suas quedas pontuais de valor, nos sobresaltasen continuamente. Mas o que nós não esperávamos é o descobrimento realizado por uma equipe da Universidade de Aachen, em Aquisgran, Alemanha.
Os pesquisadores afirmam que Blockchain está contaminado com 1.600 arquivos que não têm nada que ver com a criptomoneda, oito dos quais com conteúdo pornográfico, com pornografia infantil. E, claro, também está o código necessário para converter o seu conteúdo em imagens visíveis.
Os autores do estudo se perguntam se este achado afetará o uso do bitcoin. Por quê? Devido a que quase todos os países proíbem possuir pornografia infantil, agora, as autoridades enfrentam o paradoxo de que todos os ousuarios de bitcoin teriam um arcivo com esse conteúdo em seus computadores, sem o saber, (admitindo que o achado seja autêntico, e os autores do estudo não tenham cometido nenhum erro). O que acontecerá entocnes? Quais medidas serão tomadas para eliminar esse conteúdo? Estaremos ao tentos a isso.
Claro, esta descoberta não questiona as potenciais aplicações que pode ter a tecnologia Blockchain, mas se alerta sobre a necessidade de que é necessário continuar a melhorar a segurança da mesma.
A fonte. IFL Science
Dizem que o sistema em que se baseia bitcoin contém pornografia infantil

É possível salvarse a si mesmo de um ataque cardíaco? Este homem o fez

Há algo que possamos fazer se nos surpreende um ataque cardíaco em um lugar remoto? O certo é que não há muito, a menos que você seja um profissional de saúde e tenha à mão as ferramentas necessárias para isso. É o que se deduz do caso relatado na publicação The New England Journal of Medicine. O protagonista é um enfermeiro, que era o único profissional de saúde de um pequeno vilarejo situado em um deserto australiano.
Quando no meio da noite, começou a se sentir muito mal, o homem se fez a si mesmo um eletrocardiograma e foi capaz de detectar os sinais que indicavam que ele estava sofrendo um ataque cardíaco. Telefonou pedindo ajuda, mas, dado que se encontrava a mais de cem quilômetros do hospital mais próximo, percebeu que tinha que enfrentar, naquele momento crítico, sozinho.
E o que ele fez foi administrado um coquetel de drogas que incluíam aspirina e nitroglicerina, para estimular a circulação sanguínea e também para fazer reagir o coração. Além disso, aplicou-se a si mesmo um defibrilador. Horas depois, um helicóptero pegou-a e lhe trastadó a um hospital. Mas os médicos reconheceram que ele foi salvo, graças aos seus conhecimentos e a sua própria coragem.
Fesafortunadamente, a maioria das pessoas, ao ter seus conhecimentos, sem contar com os mecanismos necessários à mão, não teríamos podido reagir da mesma forma.
Fonte: LiveScience.
É possível salvarse a si mesmo de um ataque cardíaco? Este homem o fez

Descobrem que o sistema imune tem uma arma secreta: os anticorpos corruptos

As células do sistema imune têm a função de detectar e combater os patógenos que atacam nosso organismo. Embora, como se fosse uma história de cinema, entre essas células defensoras também existem algumas que estão contaminadas. Ou o que é o mesmo, que em vez de combater os agentes patogénicos, dedicam-se a destruir as células saudáveis.
Mas, agora, um novo estudo do National Health and Medical Research Council, na Austrália, descobriram que essas células danificadas são, na verdade, uma arma de dois gumes e que, embora inicialmente são nocivas para o nosso organismo, também são “a arma secreta” de nosso sistema imunológico, que se tornam inesperados aliados para combater os patógenos mais resistentes.
Alguns vírus como o HIV são muito difíceis de combater, porque se parecem com as moléculas do organismo, o sistema imunológico não é capaz de distingui-los. Por esse motivo, recorre a gerar essas células degeneradas (uma variedade de linfócitos b) para que os atacarem. Os pesquisadores comprovaram este mecanismo em testes com ratos.
Infelizmente, o custo deste sistema defensivo, mediante um preço alto para o nosso organismo, já que a mudança de tentar destruir esses patógenos, as células degeneradas também destroem moléculas saudáveis. Por esse motivo, os pesquisadores têm recorrido a introduzir uma mutação que as torna inofensivas para as moléculas saudáveis e aumenta o seu efeito sobre as más.
A fonte. ScienceDaily.
Descobrem que o sistema imune tem uma arma secreta: os anticorpos corruptos

Esse peixe parece um demônio

Embora pareça mentira, essa foto não é um fake nem está retocada com photoshop. O que mostra que se assemelha a uma criatura de aspecto diabólico, mas, na realidade, trata-se do interior de um tipo de peixe chamado Eumicrotremos orbis, que vive nas águas do Oceano Pacíifico.
Apesar dessa aparência infernal que transmite na imagem, trata-se de uma criatura pacífica, que não costuma atacar o ser humano. Embora não convém tocar, já que tem o corpo coberto com uma armação cheia de dentes afiados espinhos, o que a converte em uma espécie de cáctus submarino.
E, para estudar melhor a estrutura deste peixe, Leo Smith, pesquisador da Universidade de Kansas, tomou esta imagem. Para isso, mergulhou um exemplar morto em um banho de enzimas provenientes do estômago de uma vaca, as quais disolvieorn a carne, mas deixaram intactas as suas cartilagens, o que permite poder contemplar o interior desta criatura quase como se fosse transparente.
Fonte: LiveScience.
Esse peixe parece um demônio

Com apenas um muffin já tomaste a quantidade de açúcar necessária para vários dias

Os muffins são fantásticos, e é difícil resistir à tentação de tomar um café. Mas, um estudo realizado na Inglaterra pela organização Action on Sugar and Obesity Health Alliance, revelou que o conteúdo de açúcar supera amplamente a dose diária recomendada pela Organização Mundial da Saúde.
Os autores do estudo analisaram os bolos que são servidos em diversas franquias, e descobriram que muitos continham mais do dobro da dose diária de açúcar recomendada. E os que mais tinham eram os que vendiam máquinas de venda automática. Com tudo, se havia alguns estabelecimentos que serviam este produto com uma quantidade de açúcar que estava no limite ou que era algo inferior. Um exemplo eram os muffins da Starbucks, quer continham sete colheres de sopa de açúcar por unidade (a quantidade recomendada pela OMS para um dia).
O estudo se refere apenas aos estabelecimentos ingleses, mas, por se tratar de franquia, é provável que a quantidade de açúcar que contém esse doce não varie muito em Portugal. Os autores do estudo recomendam que, se alguém quer comer muffins de forma habitual, o melhor é que os faça em casa e com pouco açúcar.
Fonte: BBC.
Com apenas um muffin já tomaste a quantidade de açúcar necessária para vários dias

Facebook oferece recompensa de até 32000 € que alertem sobre violações de privacidade

A rede social Facebook está escarmentada. O duro varapalo de ter que enfrentar a sua última e mais devastadora crise de confiança por parte de usuários saiu caro. Perda de somas milionárias em Bolsa e uma constante publicidade negativa em todos os meios de que ainda tentam se recompor. O escândalo de Cambridge Analytica, que confirmou o roubo de informações pessoais de mais de 87 milhões de usuários para, supostamente, usá-la a favor das eleições, onde Donald Trump proclamou-se presidente dos estados UNIDOS, provocou Facebook se coloque as pilhas no que diz respeito à segurança.
Agora pede a ajuda de usuários, para que sejam eles mesmos os que reportar as violações de acordos de confidencialidade que assinam os aplicativos que são usados através da plataforma. Não querem que se volte a repetir um caso parecido com o último, por isso que criaram o programa “Data Abuse Bounty”, cujo objetivo é que os usuários reportar e proporcionem provas de que uma aplicação está sendo usada de forma indevida, comercializando com os dados de usuários ou aproveitando-se deles para diferentes golpes ou influenciar processos políticos.
As recompensas em que um pode ter acesso, depende do relatório que se leve a cabo, terão um valor que ronda desde 400 até 32.000 euros. Uma das jornalistas que expôs o caso de Cambridge Analytica já foi expedido para pedir a sua. Assim se tomava em piada no Twitter.
Como vemos, o Facebook está tentando fazer todo o possível para lavar sua imagem e mostrar transparência. De fato, mesmo deixou um link na sua página do serviço de apoio dentro da barra de ferramentas de seu aplicativo para que você mesmo possa verificar até que ponto a sua informação se viu comprometida. Embora, há que se destacar que a grande maioria dos casos foram relatados nos EUA.
Assim que se você quiser tornar-nos seus detetives contra este mau uso da informação… já sabeis. Abri bem os olhos, que não há recompensa.
Facebook oferece recompensa de até 32000 € que alertem sobre violações de privacidade

O que é esta estranha massa, que emerge do mar?

O U. S. Geological Survey foi publicado nesta impressionante foto tirada de seus arquivos, e que foi tirada em 1969. O que nela se vê pode parecer um monstro marinho, que escapou de um romance de Julio Verne, mas na realidade trata-se de uma fonte de lava que emerge do Oceano Pacífico, durante a erupção de um vulcão submarino no Havaí, chamado Mauna Money.
Os especialistas dizem que esta imagem é especialmente fascinante, e mostra algo que não é muito frequente ver. Geralmente, quando ocorrem erupções submarinas, a lava que emerge para a superfície o faz em forma de fonte, e mana de forma selvagem, sem ordem e concerto. Mas, nessa ocasião, a lava tinha uma forma de cúpula quase perfeita. Algo realmente incomum.
Aquela erupção do Manua Ulu durou cssi dois mil dias, durante os quais expulsou lava suficiente para encher 140.000 piscinas olímpicas.
Fonte: LiveScience.
O que é esta estranha massa, que emerge do mar?

Mark Zuckerberg pede perdão, conseguirá Facebook recuperar a confiança dos usuários?

“Sinto muito que tenha passado isso”. Com estas palavras quis mostrar as suas mais sinceras desculpas pelo escândalo que esses dias foi transformando a empresa em uma das maiores crises do Facebook em anos. Depois de 5 dias de puro silêncio e perdas multimilionárias em Bolsa, Zuckerberg decidiu limpar a imagem da empresa, reconhecendo a parte de responsabilidade que cabe assumir dentro deste processo. O fez em uma entrevista para a rede CNN, onde tentou explicar o que aconteceu com relação às suas “parcerias” com a empresa britânica Cambridge Analytica” .
Algumas horas antes, já havia compartilhado no seu perfil do Facebook qual era a posição em que ia tomar a companhia com relação ao que estava acontecendo e, em suas primeiras linhas, mas sua pesar pelo roubo de dados de mais de 50 milhões de perfis da rede social: “Temos uma grande responsabilidade na hora de proteger a sua informação, e se não somos capazes de o fazer, então nós não merecemos o poder servir-vos”. Após este passo em falso, diz que estão trabalhando para que a situação não volte a acontecer nunca mais e menos com a intenção de usá-la com fins políticos (acredita-se que foram utilizadas para aupar a Trump para a Casa Branca).
Está seguro de poder defender a empresa, até mesmo de ter que falar em frente ao Congresso, se necessário. Mas reconhece que há mais pessoas dentro da empresa que está muito mais para o dia dos pormenores e que poderiam dar uma melhor resposta às tantas dúvidas que surgem a propósito do escândalo.
Assegura que bloqueará o acesso a desenvolvedores de aplicativos que não aceitem ser auditadas, no caso de que seja necessário, não podem ter acesso a informações do usuário, se este já não usa a app há mais de 3 meses, por último, os dados que possam obter os perfis limitar-se-ão ao nome, a foto de perfil e o e-mail. Em caso de que se gostaria de ter acesso a mais dados, Facebook lhes obriga a assinatura de um contrato e ter o consentimento do usuário.
Segundo o Facebook, o roubo de informações era conhecida desde há dois anos, mas que não tinha dito nada, por não se alarme. Algo que tiveram que fazer na sexta-feira (o mesmo do dia anterior de que saltara o escândalo?).
No momento, trata-se de um leve facelift, mas ainda há muita sujeira por eliminar. Você será capaz de recuperar a confiança das pessoas e dos investidores?
Mark Zuckerberg pede perdão, conseguirá Facebook recuperar a confiança dos usuários?