Jogos para olho preguiçoso

Genes saudáveis, olhos saudáveis
Olhos com telescópios
Seus olhos têm poderes
Os olhos mais complexos
Somente para seus olhos
Olhares animais
Perguntas e respostas sobre os olhos
Se até agora as crianças operados de frequente sorriu com a idéia de comer obrigatoriamente sorvete para sua recuperação, as crianças e não tão crianças com ambliopia, estão de parabéns perante os últimos achados de um estudo realizado na Índia: corrigir a sua patologia com jogos de vídeo.
O estudo, realizado por Ghosh Somen, diretor médico de uma clínica oftalmológica em Calcutá (Índia), mostra como um regime de uso de jogos unido ao tratamento padrão para a ambliopia, ajuda não só a crianças, mas também a corrigir o ‘olho preguiçoso’ em crianças mais velhas, cuja recuperação da acuidade visual costuma ser mais lenta e difícil, de fato, é um caso que muitos oftalmologistas consideram quase perdeu uma vez o menino é jovem.
O estudo, apresentado na reunião anual da Academia Americana de Oftalmologia, foi levado a cabo com 100 crianças e adolescentes entre 10 e 18 anos de idade, que foram divididos em quatro grupos. De base, todos receberam o tratamento habitual da ampliopía: os clássicos patches, óculos e exercícios visuais. Individualmente, o grupo 1 foi tratado apenas com o procedimento padrão. O 2, a adição de um suplemento de micronutrientes considerado importante para ter uma boa visão. O grupo 3, acrescentou o procedimento padrão de uma hora de vídeo e o 4 tomou a citicolina, que melhora a função cerebral.
Após um ano de pesquisa, 30% dos jovens voluntários, mostraram uma significativa melhora na visão, e 60%, com ligeira recuperação. Os melhores resultados foram obtidos por aquelas crianças que estavam nos grupos 3 e 4 (jogos eletrônicos e a citicolina, respectivamente). Quanto à idade, as crianças que mostraram uma melhor recuperação foram os menores de 14 anos.
Um dos voluntários, Saurav Sen, de 16 anos, afirma ter agora, com esta importante melhoria na sua visão, outra oportunidade para recuperar seu trabalho acadêmico, o qual estava vendo afetado pela patologia. Quando Saurav recorreu a vários oftalmologistas, lhe informou que já era tarde para corrigir a sua ambliopia, daí sua decisão de entrar para o ensaio médico. Segundo afirma: “jogar jogos de vídeo usando apenas meu olho mais fraco, ao princípio foi difícil, mas depois, após um ano de prática, minha visão melhorou muito e não tenho problemas para estudar. Além disso, agora sou mais bom jogando tênis”. Isso pode estar relacionado com o que já foi descoberto anteriormente em outras pesquisas que afirmam que os jogadores mais experientes têm algumas habilidades visuais excepcionalmente fortes em comparação com os não-jogadores ou jogadores casuais.
O que é a ambliopia?
A ambliopia, também conhecida como olho preguiçoso ou preguiçoso, provoca uma diminuição importante da acuidade visual, que ocorre quando as ligações neuronais que vão desde o olho até o nosso cérebro não se desenvolvem com normalidade na infância. Em conseqüência, o olho afetado envia uma imagem borrada ou errada para o cérebro. Esta situação lhe confunde, portanto, com o tempo, aprenda a ignorar a imagem recebida pelo olho mais fraco.
Se falamos de ‘olho preguiçoso’, estamos nos referindo a um transtorno que normalmente é acompanhada de estrabismo, mas pode-se dar o caso de que o paciente refira estrabismo e não sintomas de ambliopia.
Esta patologia deve ser tratada na infância, mas a verdade é que é difícil de evitar, até que a sua existência se torna inequívoca na fase escolar. O tratamento habitual é a oclusão do olho bom para fazer com que o olho mais fraco trabalhe e, assim, favorecer as conexões neurais que são afetadas. O que ocorre é que, segundo os oftalmologistas, esta condição só pode ser tratada com mais sucesso até os 9 anos de idade, e asseguram-se de que é pouco o que se pode fazer, uma vez que as crianças têm excedido esse limite de idade. Mas, o PEDIG (Grupo Pediátrico de Investigação de Doenças do Olho EUA) relatou aumentos muito significativos de recuperação da acuidade visual em crianças com mais de 27%, em um estudo financiado pelo National Eye Institute.
Segundo o Dr. Ghosh, ‘a cooperação do paciente é essencial para o sucesso do tratamento da ambliopia, mas os médicos não podemos desistir de tentar melhorar a sua acuidade visual, mesmo quando se trata de adolescentes”.
Jogos para olho preguiçoso

Ajudam a corrigir a ambliopia