Livros de texto o esotéricos?

O último em ‘eBooks’
Livros (‘cool’) de cozinha
Qual é o livro mais caro?
O último em livros
De acordo com uma recente pesquisa conduzida pela Unidade de Gestão do Conhecimento do Hospital de Baza em Granada, 25% dos textos (um de cada quatro mensagens) relacionados à Saúde dentro dos livros escolares, não são baseados em qualquer tipo de evidência científica, como, por exemplo, “respirar pelo nariz, em vez de por a boca evita constipações”.
O estudo, publicado na revista BMC Public Health, compilou a informação alojada nos livros escolares de Granada desde 1 de março de 2006 a 1 de junho de 2007. Do total de 844 mensagens analisados, 61% se classificou com um nível desconhecido de provas, e 15% deles correspondiam à categoria em que se conhece o nível de certeza científica.
Mas, em contrapartida, um 24,6% não manifestava nenhuma evidência científica conhecida por nenhum cientista no seu perfeito juízo: “depois de comer não nades, o processo digestivo pode ser alterado e você pode sufrír um corte de digestão” e até mesmo algumas mensagens chegavam mais longe e iam contra a realidade científica: “Diante de uma lesão muscular você sempre tem que guardar repouso” ou “você tem que desinfetar as feridas com água oxigenada”.
Em suma, mais de 70% dos e-mails que estão relacionados com dietas, nutrição, higiene dos alimentos, tabaco, AIDS, etc., são baseadas em um nível desconhecido de evidência. Um pouco acima, com 35% se encontravam as mensagens sobre gravidez e bebês e em 37%, as afirmações mais certeras de saúde que os pequenos podem ver em seus livros, as relacionadas com a saúde bucal.
De acordo com Inês Mª Bairro Cantalejo, principal autora do estudo, “os Nossos resultados sugerem a necessidade de estabelecer normas que indiquem a professores ou outros editores de livros escolares como selecionar as mensagens de saúde. Isso facilitaria a aquisição de conhecimentos verdadeiros sobre esta matéria em escolares”.
Livros de texto o esotéricos?

25% de suas mensagens são errados