A viagem de um espermatozóide

Comparação de todos os fornecedores de espermatozóides
Como ser um espermatozóide campeão
Esperma de laboratório
O esperma tem detector
A regra do homem
1. O despertar. Os espermatozóides nascem nos túbulos seminíferos que abrigam os testículos. Recém-nascidos, mudam-se para o lúmen, suportados pelas células de Sertoli, que os alimentam e protegem de agentes externos.
2. Caminho para a maturidade. Saem das células de Sartoli e chegam ao epidídimo, um tubo de cerca de seis metros enrolado em forma de espiral, onde amadurecem. Alguns dos contraceptivos em que se está trabalhando interferem neste processo.
3. Na linha de saída. Quando o homem vai ejacular, o esperma se agolpa nos ductos deferentes, tubos estreitos de cerca de 6 a 7 m, que percorrem em dois segundos. Uma viagem a toda a velocidade, no escuro, e que implicará a morte para 99%.
4. Primeiro ataque. Uma vez na vagina, seu primeiro objetivo é chegar ao colo do útero. No caminho, são atacados por um ácido gerado pelo sistema imunológico feminino que se está tentando simular artificialmente como contraceptivo.
5. A hora da verdade. Os que atinja o colo do útero para que descansem e se alimentaram durante horas, e até dias, à espera do oócito. Quando a mulher ovula, envia mensagens que põem em movimento os espermatozóides.
6. Dentro ou morrer. Em sua fase final, os que restam se foi despojado de várias camadas de proteínas para enfrentar a corrida final. Assim, chegam à camada externa do óvulo e subir procurando a entrada. Só um conseguirá atingir a meta. O resto morrerá.
A viagem de um espermatozóide

Por que somos impulsivos

Assim se conecta seu cérebro
As escolhas não são conscientes
A tendência a tomar decisões precipitadas e imprudentes, que vem de uma diminuição na atividade do receptor de dopamina e a posterior liberação desse neurotransmissor para o cérebro. Assim, verificava há algum tempo um artigo publicado na revista Science por um grupo de pesquisadores da Universidade de Vanderbilt, em Nashville (EUA), dirigidos por Joshua Buckholtz.
As diferenças individuais na disponibilidade do auto-receptor de dopamina, D2, em uma pessoa podem ajudar a prever a expressão de seu comportamento impulsivo, segundo a equipe de Buckholtz. Além disso, sugerem, esta diminuída atividade de D2 e o ligeiro aumento na liberação de dopamina em outras partes poderia estar relacionado com o desejo incontrolável de usar drogas.
Os cientistas já sabiam que a dopamina estava envolvida na história humana, escanearon os cérebros de 32 voluntários enquanto ingerían uma anfetamina, a fim de observar a correlação entre os níveis de dopamina e o comportamento impulsivo. Os dados mostraram que os indivíduos altamente impulsivas mostram menos atividade vincula o auto-receptor D2, mas uma maior liberação de dopamina em resposta ao estímulo, neste caso, a anfetamina.
Por que somos impulsivos

Olhe nos meus olhos

O novo bacon bom
A tribo obesos
Os olhos esbugalhados são de doente?
Olhos com telescópios
Olhos artificiais
Seus olhos têm poderes
Fabricar um olho
Às vezes, só de te olhar nos olhos um médico pode prever se você tem mais ou menos risco de sofrer um problema cardíaco. De acordo com um estudo publicado no British Medical Journal, os levantamentos graxos sobre a pele das pálpebras, conhecidos como xantelasmas, são um sinal de alerta sobre a saúde do coração. Em troca, ao contrário do que se acreditava, os anéis de cor branco ou esbranquiçado que aparecem ao redor da córnea não tem nada que ver com um aumento do risco.
Na Universidade de Copenhague, fizeram um rastreamento de 12.745 pessoas entre 20 e 93 anos, que estavam livres de doenças cardíacas no início da investigação. Ao terminá-la, comprovaram que as pessoas com as pessoas com xantelasma tinham um risco 53% maior em comparação com 41% dos que não tinham a doença.
Os autores da pesquisa acreditam que verificar se uma pessoa tem bolsas de gordura das pálpebras pode ser uma forma simples e barata de se avaliar o risco cardíaco em sociedades pouco desenvolvidas, onde há poucos recursos para fazer a análise de colesterol e, em qualquer caso, coloca em evidência que o exame físico por parte do médico, continua a ser fundamental para avaliar o estado de saúde de uma pessoa.
Olhe nos meus olhos

Discos para as costas

O corpo humano tem 23 discos na coluna. Substituir os danificados é o objetivo.
Reabilitação, cirurgia… Vários são os caminhos para tratar a hérnia de disco, e quase todos sem um resultado definitivo. Agora, três pesquisadores da Brigham Young University, Anton Bowden, Larry Howell e Peter Halverson, desenvolveram um protótipo de disco artificial que pode ser colocado entre as vértebras. A sua vantagem reside em uma melhora da mobilidade do paciente em relação a outros sistemas: a prótese é suficientemente flexível para permitir o movimento da coluna e suficientemente rígida para suportar a pressão que recebe. Foi desenvolvido em colaboração com Crocker Spinal Technologies.
Discos para as costas

Andar con epidural

A parturiente possa andar durante a dilatação.

Será que algo acontece se a mãe e o feto são de diferente grupo sanguíneo?
Coma e anestesia parecem
Vendo a imagem, ninguém diria que a esta mulher, que lhe puseram anestesia peridural, e, no entanto, é verdade. Uma nova técnica analgésica, conhecido como ” walking epidural, permite que as parturientes podem andar durante a dilatação. Começou a ser aplicada em alguns hospitais, como o 12 de Ocubre de Madrid, e sua principal vantagem é que melhora a qualidade do parto. “Antes, quando a mulher entrava no hospital, se lhe punha a epidural convencional e passava o tempo todo na cama, dependente da dilatação. Com esta técnica diminui e às vezes diminui a necessidade de oxitocina”, explica Marisa Santos, anestesista do hospital madrileno e impulsionadora do uso desta técnica.
A fórmula utilizada é basicamente a mesma que se usava na técnica antiga, uma mistura de um produto anestésico, encarregado de dormir as fibras motoras, e outra opiácea para controlar a dor. O que mudam são as doses. Reduz a quantidade de anestesia e aumenta a de que prescreve, de forma que apenas dormem as fibras sensitivas, enquanto permanecem ativas as motoras, que controlam o movimento. Acima de tudo, aconselha-se em primeiro parto ou em mulheres cuja dilatação é inferior a quatro centímetros. Com a walking epidural reduz os casos de pisiotomías, o corte realizado no períneo para evitar rasgos, que depois do parto costuma provocar fugas de urina.
A iniciativa visa obter a acreditação da OMS e da UNICEF, Iniciativa para a Humanização da Assistência ao Nascimento e a Amamentação, que premia os centros de saúde que protegem e apoiam partos mais naturais e aleitamento materno.
Andar con epidural

Menos estresse, mais anos

O dano é irreversível.

Stress dos coalas
stress doente
Atitudes contra o estresse
O estresse, que não queima
O estresse melhora a memória
estresse pára o câncer
Estresse, álcool e outras razões
O estresse ataca seus pontos forte
O nível de estresse que sofre com o bebê durante a gravidez pode acelerar o envelhecimento, de acordo com uma pesquisa do Centro Nacional de Investigações Oncológicas, CNIO. O testaram em ratos: vivem dois anos, mas os que sofrem de stress em sua gestação, aos dois meses tinham um aspecto extremamente envelhecido. O estresse metabólico das grávidas aumenta as chances de que você sofra o bebê. O dano celular que acelera o envelhecimento ocorre durante a gestação, que é quando mais divisão celular é registrado no humano. Uma vez nascido, este dano objetivo é que as células dos órgãos.
Menos estresse, mais anos

O móvel causa câncer?

Emissões radiológicas do móvel
arcos magnéticos.
pergunta móveis nocivos
O uso continuado do móvel é “possivelmente carcinogênico”, segundo a OMS, embora os cientistas recomendam “investigar”. É a conclusão a que chegou um dos seus organismos, a Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer, depois de analisar todos os estudos científicos que se têm feito até a data sobre os eventuais efeitos dos campos eletromagnéticos.
O anúncio é um sinal de alerta dos cientistas, e de momento, só isso, porque a correção que fizeram não diz nem que se nem que não, e também não dá diretrizes sobre quanto tempo e como deve ser usado o celular para evitar esse “possível” efeito. Argumenta que esse não é o seu papel. Em troca, um dos estudos que revisaram amplia em 40% o risco de sofrer um glioma entre as pessoas que usam o telefone por mais de 30 minutos por dia, durante pelo menos 10 anos. Como medida preventiva, um relatório da OMS do ano passado, recomendava “usar o telefone celular a 30 ou 40 centímetros do corpo”, e lembrou que uma pessoa que escreva mensagens, navegar na internet ou utilizar o modo mãos livres “está muito menos exposta a campos de radiofrequência que aqueles que o usam aproximando o aparelho em sua cabeça”.
O que os cientistas dizem é que o aumento de dois tipos de câncer cerebral, os gliomas e neuromas acústicos, “descobriram” a um uso continuado de celulares, mas reconhecem que a evidência científica em seres humanos, de momento, é “condicionada”. Em animais de experimentação, é “suficiente”, segundo o metaanalálisis.
Os 31 cientistas de 14 países dizem que seria “inadequado” tirar conclusões sobre os eventuais efeitos das radiações dos telemóveis em outros tipos de câncer, nem sobre as emitidas por radares, micro-ondas, sinais de rádio ou de antenas, analisadas também na pesquisa.
O móvel causa câncer?

Célulastronco para o ouvido

Cóclea repovoada com células-tronco (em cor verde)

Revolução para a surdez
As tema danificam os ouvidos
Experimentos com o seu corpo: o ouvido
É verdade que um pato não faz eco?
Ruídos do corpo humano
Um grupo de pesquisadores da Universidade de Sheffield (Inglaterra) conseguiu devolver a audição em ratos surdos graças a um implante de células-tronco de origem embrionária.
O estudo, que foi publicado na revista Nature, representa um “avanço importante”, segundo explica o pesquisador principal do estudo Marcelo Rivolta. Esta investigação implica, para ele, a “demonstração conceitual de que as células embrionárias podem ser utilizadas para reparar um ouvido danificado”.
Após cultivo in vitro, as células-tronco separadamente, os pesquisadores desenvolveram, por um lado, as células-tronco do ouvido e, posteriormente, os cílios e os neurônios. Em seguida, estas foram implantadas na gerbils (a classe de roedor com a que foi realizada a pesquisa), com resultados mais que satisfatórios e uma recuperação funcional realmente significativa.
Conforme explica Rivolta este achado é muito positivo, já que permite ter uma fonte praticamente inesgotável para produzir células do ouvido a demanda”. Esta pesquisa abre as portas para estudos em seres humanos para tratar diferentes tipos de surdez.
Célulastronco para o ouvido

Como podemos ajudar a entrar um papiloma no chuveiro?

O que fazem as lojas com roupas que não vendem?
Quantas crias pode chegar a ter um rato-por ano?
Por que a Irlanda era conhecida como a “Ilha Esmeralda’?
O que é o ‘futebol-tênis’ oriental?
De onde sai o ronronar que fazem os gatos?
O vírus do papiloma humano (HPV) é composta por famílias diferentes de vírus que provocam várias manifestações na pele.
Exceto o condiloma ou papiloma vaginal, que é transmitido por relacciones sexuais, o resto acontece frequentemente através da água quente, mas como é autocontagiable, pode ser que nos peguemos nós mesmos a partir de outra área. O resultado mais visível é uma verruga.
Entrada. O vírus penetra através dos poros dilatados pela água quente.
Infecção. A célula infectada transmite a outras por diante.
Visível. Quando a infecção chega à fábrica, vê-se a verruga.
Enviada por Lúcia Causou, Lisboa
Como podemos ajudar a entrar um papiloma no chuveiro?

Por que mata o estramonio?

O estramonio é uma erva daninha comum nos campos de cultivo

Usar drogas como estratégia sexual
A cocaína desestabiliza
Drogas e álcool, má assunto
Estado de coma
cérebro em coma
Urgências por cocaína
Uma infusão de estramonio começa a provocar visão turva e falta de equilíbrio e, em casos mais graves, pode acabar em coma ou infarto agudo do miocárdio. Álvaro Lopes, de 20 anos, foi um dos jovens que bebeu a infusão em uma festa clandestina no casarão abandonado na periferia são Carlos no fim de semana passado. Teve a sorte de que um amigo seu, vendo o seu estado, que o levou à urgência. Salvou-lhe a vida. Dois dos seus companheiros, Paulo Alberto, o estramonio os levou por diante.
Com apenas um copo de decorrida meia hora aparecem as alucinações. Essa imediatez já a conheciam no Império Romano, onde utilizavam as adoradoras do Deus Baco. Também a conhecem bem os agricultores, porque o estramonio cresce nos campos, como ervas daninhas, e eles sabem que têm que ter cuidado. De fato, o chamam popularmente revientavacas por suas conseqüências letais estes animais.
Por que têm um efeito tão rápido? Alberto Borobia, especialista da Unidade de Toxicologia do Hospital Da Paz de Madri explica com a linguagem médica que se deve aos “efeitos anticolinérgicos que têm a grande quantidade de alcalóides que contém o estramonio: atropina, escopolamina e hiocionamina”. Em linguagem Quo aponta que “o que há é paralisar a ação de um neurotransmissor, a acetilcolina, que tem relação, por exemplo, com o movimento dos músculos”. Você pode bloquear os músculos dos olhos, por isso se dilatam as pupilas, e também o músculo cardíaco, e ocorrer um infarto do miocárdio”. Uma vez revasado os alcalóides da barreira craneoencefálica “podem ocorrer convulsões e diminuir o nível de consciência até provocar um estado de coma”.
Suas sementes se transformam em um coquetel explosivo se misturam com álcool ou outros entorpecentes. “Para os casos mais graves, utilizamos um antídoto, gisostigmina, que reverte os efeitos, mas normalmente não há necessidade de recorrer a ele”, acrescenta Alberto Borobia. Se a pessoa intoxicada acode às urgências, “se faz uma lavagem gástrica e uso de carvão ativado para impedir que os alcalóides são absorvidos no intestino, além de outras medidas básicas, como mantê-lo hidratado”.
Não é a primeira vez que os seis hospitais com unidades de toxicologia clínica que há em Portugal têm que atender a jovens intoxicados com estramonio. Em 2004, registraram-se casos em que a “rota do bacalhau”, e em alguns casos com efeitos semelhantes, mas não por esta substância, foram pingando nos últimos anos. O doutor Borobia lembra o caso de uma família sul-americana que tinha tomado uma infusão de uma substância de ervanário “bom para o colesterol e a tensão”, como lhes disseram. As alucinações das sofreram primeiro os filhos, depois de o pai e a mãe, e, finalmente, até a sua avó.
Por que mata o estramonio?